sexta-feira, 5 de agosto de 2016

♥ VOCÊ PRETENDE SER FELIZ?




Quando focamos a nossa felicidade no futuro, em algo que queremos alcançar para sermos verdadeiramente felizes, podemos entrar num caminho tortuoso e miserável. 
“Só vou ser feliz quando tiver a casa dos meus sonhos.” Neste exemplo, a pessoa faz uma afirmação absolutista ancorada a um objetivo específico, colocando todas as outras áreas da sua vida em segundo plano. 
Coloca um filtro extremamente redutor, quer em termos temporais, quer em termos de outros objetivos alcançados ou prazeres experienciados. 
Nesse meio tempo, é usual a pessoa sentir-se miserável porque a casa onde vive não cumpre os padrões pretendidos. 
Se este tipo de pensamento for sendo aplicado ao longo do tempo e generalizado a outros objetivos que a pessoa se proponha, a obsessão instala-se e a felicidade é afetada negativamente.
Cuidado com este ciclo de pensamento a que podemos chamar de armadilha da felicidade
Mesmo que a pessoa atinja os seus objetivos, por exemplo, compre a casa dos seus sonhos ou ganhe mais dinheiro, rapidamente se propõe a outros objetivos e encontrará novos motivos para continuar infeliz e a sentir-se miserável. 
Ainda que seja saudável e benéfico traçar objetivos e propor-nos a novos desafios que possam gerar bem-estar e contribuir para a nossa felicidade, é contraproducente colocar a totalidade da nossa satisfação de vida na obtenção de um resultado específico.
Dedique sua vida para obter a FELICIDADE ABSOLUTA.

É possível afirmar que FELICIDADE ABSOLUTA é aquela que não se altera com o passar do tempo, continua eternamente. 

É um senso de felicidade que flui do interior da vida sem ser influenciado pelas condições externas. 
Não é algo temporário como uma posição social, fama ou fortuna. 
A pessoa que vive com base no NAM-MYOHO-RENGUE-KYO conquista com todos os méritos, qualquer felicidade transitória. 
E essa “posição da vida”, junto com o NAM-MYOHO-RENGUE-KYO, é eterna.  



♥ DESAPEGO



Não deixe que as suas falhas, angústias, incertezas, medos, pensamentos e sentimentos negativos oriundos do passado se transformem no seu carrasco. 


Não deixe que isso determine as suas ações e muito menos quem você é. 
Você tem de decidir os seus objetivos e o que pretende ser, por você mesmo. 
Pelo seu estado de ser mais elevado, positivo, otimista e esperançoso.
Desapegar, desenraizar, simplesmente deixar ir mágoas, falhas, mesquinhices e raivas. 

Que se desvaneçam com o passar dos dias, com as atitudes construtivas, com o impulso para a frente, com a persistência num querer erguer-se acima da neblina. 

Sem o peso do passado, mas na posse da sua experiência positivamente filtrada pelo NAM - MYOHO - RENGUE - KYO, siga em frente. 

O que você está transportando consigo que prende os seus sonhos? 

As angústias do passado, os rancores, as vitimizações?

As desculpas insalubres, os fracassos, as desilusões e ilusões? 

Liberte-se!

♥ MUDAR PARA MELHOR



A ideia de: “tenho de fazer algo para mudar a minha vida” é uma vã esperança de quem se ilude, de quem vai eternamente adiando aquilo que sabe nunca vir a realizar. 

Não magoa, pelo contrário, alivia momentaneamente. 

Só que, esse alívio momentâneo quando repetido uma e outra vez, sim, vai magoando. 

Vai infligindo sofrimento numa autoimagem que se tenta iludir, dizendo: “Tenho de fazer algo para mudar a minha vida.” … mais um bálsamo temporário, que passado tempo vai magoando. 

A intensidade do sofrimento até pode ser baixa, mas faz endurecer, sofrer, chorar, deprimir, desmotivar, por vezes silenciosamente, na calada, vai corroendo por dentro.

É uma vã esperança. 


Vai-se ficando refém de nós mesmos. 
Passamos a ser o sequestrador. 
Uma vez fazemos papel de refém e no momento seguinte de sequestrador. 
Inflige-se dor, e depois sente-se essa dor. 
A seta lançada caminha para o alvo. 
Esse alvo é a própria pessoa que lançou a seta.
Mas, a mudança, a possibilidade de mudança sempre esteve ali, à espera de ser abraçada e recitada. 
Ela foi admirada, prometida, mas uma e outra vez abandonada. 
Sim, era uma vã esperança. 
Uma vontade sem intenção. 
Uma ilusão de fazer.
Descobrir o truque da ilusão, é, e pode ser o retomar da esperança cheia de possibilidade. 
A possibilidade pode ser materializada na ação. 
Na ação de fazer. 
Vá e faça. 
A ilusão foi quebrada, e a esperança renovada.

Como escreveu o buda Nitiren Daishonin na escritura " A Felicidade Neste Mundo.": 
"Considere tanto o sofrimento como a alegria como fatos da vida, e continue orando o Nam-myoho-rengue-kyo, não obstante o que aconteça. Então, experimentará a infinita alegria da Lei. Fortaleça a sua fé mais do que nunca"
.